Mini cama montessoriana para o quarto do bebê

mini-cama-montessoriana-bebe-infantil

Ainda não tinha mostrado aqui (só no Stories do Instagram, me segue lá: @nardanegrao) mas há algumas semanas montamos a caminha do Tomás!
Nossa, mas já cama? 
Quando eu estava grávida gastei boa parte da minha energia procurando um berço exatamente do jeito que eu queria. Não encontrei e comprei um que chegava perto do que eu idealizava.
Na semana do parto acabei comprando um moisés pra ele dormir do meu lado no quarto e foi nele que o Tomás dormiu as primeiras semanas. Até que passamos por um pico de crescimento e não tinha cristo que fizesse ele ficar deitado no moisés. Chorava muito e só se aquietava quando eu deitava junto e dava de mamar.
Foi assim que iniciamos sem perceber a cama compartilhada. E tem sido assim desde então!
Logo, nada mais natural do que fazer a transição da nossa cama direto pra dele, né?
Sim, o berço tão bem escolhido só serviu de enfeite durante 7 meses.
Então, se tem uma dica que eu posso dar pra quem está comprando o enxoval é: não se guie pelo convencional, não compre berço antes do bebê nascer! Um moisés, mini berço ou berço de acoplar na cama resolve até vocês se entenderem na nova rotina. Depois você vai ver se o bebê se adapta e perceber o que é melhor pro estilo vida da família.
Aqui optamos por uma mini cama montessoriana, pra promover a independência dele deitar e sair da cama sozinho (assim que ele já tiver essa mobilidade). Por enquanto, seguimos com a transição aos poucos pro quartinho dele! ☺

A quem interessar:
Mini cama: Casatema
Rolinhos protetores: Vivi Lopes Craft Design
Almofadas: AliExpress
Bandeirolas: TokStok

rolos-protetores-berlo-mini-cama-infantil

Sobre escolher um berçário

Processed with VSCO with c6 preset

Escolhemos o berçário do Tomás meio no susto, sem muito tempo pra ponderar. Foram só dois dias de adaptação, pois na sequência eu já voltaria ao trabalho.
No primeiro dia eu fiquei o turno com ele e com as “tias”. Falava como era a rotina e os horários dele com lágrimas nos olhos, por saber que aquilo significava confiar os cuidados do meu filho à outra pessoa.
No outro dia acompanhei do lado de fora da sala. E quando ele chorou pra dormir a primeira vez sem mim, sem o peito pra mamar, eu chorei do outro lado da porta “sem poder” acalentá-lo, sem saber se conseguiriam faze-lo dormir.
Mas conseguiram. Ele dormiu sem mim. Ele ficou bem sem mim. E assim foi nesse pouco mais de um mês que ele frequentou esse berçário no período da tarde.
Hoje foi o último dia dele lá.
Segunda vamos pra um novo berçário, mais perto de casa.
Nunca pensei que seria tão difícil.
Talvez tomar a decisão de ter que fazer essa troca tenha sido mais difícil que a de escolher.
Com o mesmo coração miúdo que o deixei no primeiro dia, eu o busquei hoje no seu ultimo.
A tia chorou, nós (eu e marido) choramos. Ela porque ficará com saudade, nós em agradecimento. Pelo nosso filho ter sido muito bem cuidado lá, pela certeza de que ele recebeu um carinho enorme das cuidadoras e pela tristeza de ter que desfazer esse laço tão precocemente.
Meu coração ficou mais uma vez pequeno, mas, ao mesmo tempo, cheio… de gratidão! 💓

Volta ao trabalho

343B8368

Filho, enquanto te escrevo isso você mama adormecido no meu peito, como de costume. Mas hoje não foi um dia como outro qualquer, como os dos últimos sete meses em que meu peito foi seu alimento e alento, a hora que você quis.

Pela primeira vez ficamos muitas horas, mais do que eu gostaria, longe um do outro. Talvez te escrever isso seja uma forma de te pedir desculpas. Desculpa por não ter sido como planejei, como pensei ser uma maternagem ideal.

Aprendi durante esses meses vivendo inteiramente para e por você, que ser mãe é um eterno ajuste de expectativas e do que idealizamos. Gostaria muito de continuar o dia todo com você, vivendo a nossa pequena rotina de dias bons e outros nem tanto, sem data certa no calendário. Cada dia aprendendo e me surpreendendo com você.

Mas agora vamos ter uma nova rotina. Vamos, eu e você, continuar aprendendo, dessa vez a lidar com a saudade. Você a viver algumas longas horas longe da mamãe e a mamãe também, além da missão de reencontrar quem ela era antes de você. Mas saiba que, ainda assim, nada voltará a ser como antes. Eu nunca mais serei a mesma. Você me mudou completamente e por você eu busco sempre o melhor. Agora, mais do que nunca.

Com isso espero de alguma forma te ensinar, talvez, a sua primeira lição: é preciso tentar para conseguir. Vamos tentar sermos fortes para nos adaptar e conseguirmos ter êxito nessa nova fase. Só assim vamos ver se dá certo. E se não der, tudo bem. A gente dá um jeito. O importante é saber que tentamos.

E que, no fim do dia, teremos sempre um ao outro.

Página 1 de 19812345...1020...198