Sobre escolher um berçário

Processed with VSCO with c6 preset

Escolhemos o berçário do Tomás meio no susto, sem muito tempo pra ponderar. Foram só dois dias de adaptação, pois na sequência eu já voltaria ao trabalho.
No primeiro dia eu fiquei o turno com ele e com as “tias”. Falava como era a rotina e os horários dele com lágrimas nos olhos, por saber que aquilo significava confiar os cuidados do meu filho à outra pessoa.
No outro dia acompanhei do lado de fora da sala. E quando ele chorou pra dormir a primeira vez sem mim, sem o peito pra mamar, eu chorei do outro lado da porta “sem poder” acalentá-lo, sem saber se conseguiriam faze-lo dormir.
Mas conseguiram. Ele dormiu sem mim. Ele ficou bem sem mim. E assim foi nesse pouco mais de um mês que ele frequentou esse berçário no período da tarde.
Hoje foi o último dia dele lá.
Segunda vamos pra um novo berçário, mais perto de casa.
Nunca pensei que seria tão difícil.
Talvez tomar a decisão de ter que fazer essa troca tenha sido mais difícil que a de escolher.
Com o mesmo coração miúdo que o deixei no primeiro dia, eu o busquei hoje no seu ultimo.
A tia chorou, nós (eu e marido) choramos. Ela porque ficará com saudade, nós em agradecimento. Pelo nosso filho ter sido muito bem cuidado lá, pela certeza de que ele recebeu um carinho enorme das cuidadoras e pela tristeza de ter que desfazer esse laço tão precocemente.
Meu coração ficou mais uma vez pequeno, mas, ao mesmo tempo, cheio… de gratidão! 💓